Agnaldo Timóteo morre aos 84 anos, vítima da covid

Cantor estava intubado desde o dia 27

Morreu neste sábado (3), aos 84 anos, o cantor Agnaldo Timóteo. Ele estava internado desde o dia 17 de março, na UTI do Hospital Casa São Bernardo, na Zona Oeste da cidade do Rio de Janeiro, devido complicações causadas pela covid-19. Estava intubado desde o dia 27. 

“É com imenso pesar que comunicamos o FALECIMENTO do nosso querido e amado Agnaldo Timóteo. Agnaldo Timóteo não resistiu às complicações decorrentes do COVID-19 e faleceu hoje às 10:45 horas. Temos a convicção que Timóteo deu o seu Melhor para vencer essa batalha e a venceu! Agnaldo Timóteo viverá eternamente em nossos corações! A família agradece todo o apoio e profissionalismo da Rede Hospital Casa São Bernardo nessa batalha”, informou a família em nota. 

O artista nasceu em Caratinga, no interior de Minas Gerais. Ele começou a carreira logo cedo, em circos itinerantes que chegavam à cidade. A partir daí, ingressou na música através de programas de calouros em rádios. Gravou seu primeiro disco em 1961. Com o LP “Surge um Astro”, emplacou o hit “Mamãe” (versão de “La Mamma”, de Charles Aznavour). 

Com o álbum “Obrigado Querida”, de 1967, alcançou o primeiro lugar nas gravadoras do país com a canção “Meu grito”, de Roberto Carlos, o que consolidou sua carreira.

Agnaldo Timóteo também atuou na política. Em 1982, foi eleito deputado federal no Rio de Janeiro pelo PDT. Em 1986, candidatou-se ao governo do estado do Rio, mas foi derrotado por Moreira Franco. Foi reeleito deputado federal em 1994, e renunciou dois anos depois para assumir como vereador na cidade do Rio de Janeiro. Em 2005, ingressou na câmara de vereadores de São Paulo e foi reeleito em 2008. Informações do G1.